domingo, 6 de fevereiro de 2005

A arte de mentir

A Arte de Mentir

Mentir é uma atividade inerente ao ser humano. Aquele sorriso amarelo que esboçamos diante de conhecidos ou o artificial "Tudo bem..." que respondemos automaticamente quando nos perguntam como estamos, tudo isso é a constatação prática de que a mentira está tão intrinsecamente enraizada em nossa personalidade que a gente mente que nem sente...

O problema é que alguns seres saem do convencional e desenvolvem melhor essa habilidade - tornam-se peritos na Arte de Mentir. Veja bem, pra quê estudar, por cinco anos, apenas para obter o nível superior de escolaridade, se pode-se conseguir o mesmo diploma no mercado-negro? Por que suar a camisa durante anos de sacrifício para construir uma reputação, se é possível criá-la ou destruí-la da noite para o dia, bastando pra isso ser convincente em sua mentira.

Pra piorar ainda mais, há muitos invejosos no mundo. E eles vivem unicamente para destruir a imagem dos outros, ou para desmentir a imagem criada pelos outros. De forma que, quanto mais tempo se leva para criar uma reputação, mais chances e oportunidades surgem para que alguém crie um boato que jogue todo o seu trabalho latrina abaixo! Ah, a verdade é tão frágil!

Sacou o poder da mentira? O lance é mais ou menos assim: se reputação e respeito são conquistados com o passar dos anos, às custas de muito sacrifício, onde cada tijolo da fundação custa uma gota de sangue, então, tudo o que você precisa é sair por aí com uma caminhonete roubando o tijolo dos outros. Em pouco tempo você será O Cara, El Capitán, e estará construindo seu palácio de inverdades verídicas.

Moral da história: esqueça princípios, valores e orgulho, porque todos eles são álibis para que você não queira ser você. Não há mais espaço para esses ideais no século 21 - reivindique suas conquistas! Só não esqueça que quanto mais você mentir, mais coisas terá para lembrar...

Até mais,

Marcos Lima